Uma das coisas mais bacanas de ter um blog é que, ainda que algumas pessoas não entendam esta singela particularidade da ~profissão~, é perfeitamente possível conviver, não apenas pacificamente, mas fraternalmente com os “concorrentes” – já falei aqui e em outras ocasiões sobre como é importante para cada blogueiro em particular ajudar a alimentar uma blogosfera mais recíproca.

Pois se há uma coisa de que tenho orgulho nestes últimos anos de ofício blogueiro é de ter influenciado e acompanhado o nascimento e crescimento de alguns novos blogs, nessa dinâmica muito louca que é a blogosfera dos dias de hoje. Um deles, em particular, é o blog da pedagoga Denise Pazito, o Doce Deni, que acaba de completar um ano de existência e crescente sucesso sendo atualizado diariamente com textos maravilhosos e óbservações pertinentes. Por ironia do destino, Denise, que já foi minha professora, algum tempo depois teve que tomar umas aulas comigo para montar e iniciar as atividades de seu blog.

Basicamente o que fiz foi apresentar-lhe o maravilhoso universo do HTML fundamental, e algumas ferramentas básicas para ser feliz na blogolândia. E esses dias estive pensando por que não compartilhar algumas dessas dicas com mais gente aqui no blog. Eu poderia me furtar ao trabalho por preguiça, ou medo de que usem minhas próprias dicas para fazer um blog melhor do que o TRETA (o que, convenhamos, não é nada difícil), mas como a minha memória falha-mas-não-tarda, decidi registrar nos anais da história do Internet Archive as dez dicas que considero serem extremamente úteis para um blogueiro – principalmente um iniciante destraído.

Longe de querer arrolar OS DEZ MANDAMENTOS DO BLOGUEIRO, meu objetivo aqui é tão somente fazer valer quase uma década de fracasso experiência para – quem sabe? – dar uma mão na roda de quem está meio perdido ou iniciando-se neste ofício ingrato.

1. ESTUDE O TERRENO

A não ser que o objetivo seja uma brincadeira descompromissada e você ache divertido ter o trabalho de criar uma conta de blog apenas para passar o tempo, o melhor a se fazer antes de mais nada é, pelo menos, dar uma olhada no movimento a que se pretende aderir. Gaste algumas horas pesquisando blogs sobre os assuntos que pretende abordar, salve os melhores nos seus favoritos ou assine o feed para acompanhar o trabalho deles de perto. Sem falar que no Google você encontra resposta para todo e qualquer questionamento inicial que um blogueiro geralmente se faz, então uma boa leitura prévia de dicas e tutoriais para iniciantes melhores e mais específicos que este vem bem a calhar.

 

2. DEMARQUE SEU DOMÍNIO

Agora que você está familiarizado com o ambiente em que quer trabalhar é hora de criar a sua marca na rede e definir mais nitidamente os contornos dos seus objetivos. Estabelecido o conceito, tente chegar a um nome que o expresse, e conviva com o fato de aquela ideia de URL genial certamente já foi tida por outra pessoa anteriormente. Quando encontrar algum bom nome com chances de estar disponível, registre seu domínio oficial (ou subdomínio caso esteja usando uma plataforma gratuita, como o Blogspot), veja se não vale à pena comprar também outras extensões (.com e .com.br, por exemplo) e não se esqueça de sair reservando o nome de usuário no Twitter, Facebook, etc., como quem faz xixi no poste para marcar território.

3. ESCOLHA SUAS ARMAS

Existem tantas opções disponíveis de plataformas e ferramentas para criar um blog que a maioria acaba não fazendo a menor ideia de quais escolher. Como eu disse acima, o mais apropriado é dar um pesquisada inicial também sobre onde hospedar adequadamente seu blog e quais os recursos mais usados na plataforma escolhida. Da infantaria que já testei recomendo fortemente o WordPress, menina dos olhos de nove – e meio – a cada dez probloggers, rodando em um host competente como a E-Consulters (onde hospedamos o TRETA) e se você quer uma sugestão que vale por todo este extenso artigo, experimente instalar o Windows Live Writer Open Live Writer, um software gratuito que torna o ingrato ofício blogueiro muito mais fácil.

 

4. FUJA DO ÓBVIO

Com a facilidade do acesso às ferramentas necessárias, assim como você, milhares de outras pessoas pretensamente geniais também estão tentando fazer sucesso na internet e um dos expedientes mais recorrentes na praça é repetir as velhas fórmulas de sucesso. Enquanto a repetição e a falta de originalidade têm sido identificadas como um dos grandes problemas da oferta de conteúdo na rede, você tem a chance de inovar e criar o seu estilo colocando em ação suas próprias ideias, do seu próprio jeito, sem limitar-se a reproduzir os formatos que vê por aí.

5. SOCIALIZE-SE

Como a essa altura você já deve ter reparado, os blogs que existem por aí são quase todos feitos por seres humanos (ainda que alguns pareçam ser feitos por robôs e outros tantos por macacos). Você deve conhecer uma dúzia ou duas de pessoas que poderiam se interessar pelo que anda escrevendo no seu blog, então, não esqueça de contar pra elas. Independente do meio escolhido (contato direto, email, redes sociais), a dica que considero mais relevante – e talvez mas óbvia – é tentar fazer com que as pessoas se comovam com o seu conteúdo a ponto de quererem expressar uma opinião na forma de um comentário ou mesmo compartilharem o seu link para que outros o vejam.

 

6. NÃO SEJA RIDÍCULO

Da mesma forma, ao perceber que a internet não é uma ilha e você não está sozinho, tome cuidado para não ser inconveniente ao tentar divulgar o seu blog. O ponto de partida é: ninguém é obrigado a gostar dele (na verdade sequer é obrigado a ir conferir se presta), então não peça, não implore, não insista, não incomode. Envie sua mensagem sempre como uma despretensiosa sugestão, algo que acha que pode ser interessante, e mostre-se aberto a feedbacks. E mais importante ainda: tenha certeza de que estará preparado para ouvir a opinião alheia sobre o seu trabalho sem reagir como se fosse uma menina histérica de 13 anos.

7. OBEDEÇA AS REGRAS DO JOGO

Muita gente que se encanta com as revolucionárias possibilidades deste novo mundo virtual, não sei por que catso, cai na asneira de pressupor que a web seja um território sem lei. Nunca é demais lembrar: mesmo que ainda não exista uma legislação específica para tratar de todos os aspectos das relações online, nossas velhas e enferrujadas leis de papel ainda alcançam boa parte do que se faz conectado. A dica é não perder de vista a sua responsabilidade sobre as coisas que publicar em suas páginas.

 

8. CADA UM NO SEU QUADRADO

Uma dica que eu não traria se não tivesse mesmo aprendido a duras penas é furtar-se a invadir uma área que você não domina. O ofício blogueiro é tentador também por nos oferecer a possibilidade de desenvolver novos e inexplorados de nossos próprios talentos, mas corre-se sempre o risco de dispender tempo e esforços desnecessários numa atividade com a qual não se tem afinidade. Que o diga, meu amigo Rogério Lima, que em seu “espetáculo” de stand up comedy provou ser um talentoso blogueiro.

9. TENHA PACIÊNCIA

A maioria dos bons blogs que chegam a se estabelecer tropeçam neste item da lista, quando não conciliam as expectativas com os resultados. Por espelharem-se sempre em cases de sucesso, muitos abandonam seus projetos após as primeiras frustrações, sem se darem conta de que raramente o sucesso vem fácil. Em seis anos de TRETA tivemos que desenvolver diariamente esta de nossas virtudes, até percebermos que a evolução do blog segue mesmo em passos de formiga e sem vontade.

 

10. GENTILEZA É MOEDA DE TROCA

Ainda que a internet seja um terreno de egos indomados protegidos pelas carapaças do anonimato e do distanciamento físico, existem muitas pessoas talentosas e inteligentes espalhadas pela rede que concordam que a convivência (real e virtual) pode ser muito mais agradável ao se estabelecerem relações cordiais. Na internet e no ofício blogueiro, talvez mais até que no trânsito ou num elevador lotado, essa postura benevolente não somente denota a sua educação e seus princípios éticos, como também pode configurar uma postura estratégica. Alguns chamam simplesmente de karma.

Bem, pessoal, pra começar é isso. Espero que tenha sido proveitoso e que ajude pelo menos a evitar novas catástrofes virtuais desavisadas.

Se você começou um blog agora e acha que o caminho é esse mesmo, não esqueça de ajudar divulgar essas dicas!


 

17 comentários