Depois da triologia original de Star Wars, George Lucas esperou muitos anos para produzir um novo filme da franquia. Em 1999, quando acreditava que a a tecnologia de computação gráfica (CGI) tinha alcançado grau de sofisticação suficiente para transformar seus roteiros da prequela de Guerra Nas Estrelas em filme, veio o Episódio I, e toda a triologia que alguns defendem que deve ser ignorada.

Agora, alguns anos depois, a saga ganhou um novo filme, e – para não repetir o erro cometido na virada do século – resgatou a estética e algumas técnicas de efeitos visuais do passado. O resultado, o Episódio VII – O Despertar da Força, agradou a grande maioria dos fãs, mas não pensem que o filme dispensou efeitos especiais de última geração.

O vídeo abaixo resume algumas dessas tecnologias aplicadas na produção do novo Star Wars:

Via

Sobre o autor

Ivo Neuman
Fundador

Fundador do TRETA e diretor de ginástica laboral do Não Salvo.