Andar de bicicleta é uma daquelas ações humanas dada a metáforas.

Dizem que a vida é como andar de bicicleta: se parar você cai. E também dizem que certas coisas, como o sexo, são como andar de bicicleta: uma vez que você aprende, jamais esquece.

Mas parece que a coisa não é bem assim…

large_backwards_bicycle

Um maluco chamado Destin Sandlin apresentou em seu canal Smarter Every Day uma bicicleta que exige mais do cérebro do que do resto do corpo para ser utilizada. O truque é simples: ao virar o guidão para um lado, a roda dianteira se vira para o lado contrário. O resultado, contudo, é que para se manter equilibrado em movimento sobre a bicicleta invertida (não confundir) é preciso adequar os comandos do cérebro a este novo procedimento, como se estivesse aprendendo uma novo idioma – por isso, inclusive, crianças teriam maior facilidade em enfrentar o desafio.

No vídeo, Sandlin mostra como é possível, obviamente após certo treinamento, aprender a trabalhar com uma nova realidade. E ainda relata que é possível “desaprender” a andar de bicicleta durante o processo, como efeito colateral. Confira a experiência:

 

BONUS TRACK – Engenheiros marotos e adeptos do gambiarra lifestyle de todo o mundo também gostam de inventar adaptações para as magrelas de vez em quando. Você já viu aqui no blog a bicicleta de 4,4m de altura e agora vai conhecer também:

1. A bicicleta que não pode ser roubada

 

2. O spray de pintura reflexiva da Volvo pra aumentar a visibilidade dos ciclistas à noite

 

3. A bicicleta que anda sozinha

 

Enfim, apesar de todas as metáforas e possibilidades, o fato é que saber pedalar uma bicicleta pode salvar a sua vida:

 
Leia também: Ciclofobia é coisa nossa!

 
Da ciclovia do Brasil Post.


 

1 comentário