Um dos maiores problemas que eu tenho pra assistir filmes e séries em família é a seleção de áudio: meus níveis de entretenimento são totalmente limitados quando assisto algo dublado.

Longe de desmerecer o trabalho dos estúdios brasileiros de dublagens, mas o meu cérebro tem uma trava que aciona o alerta “estou sendo enganado” quando vejo ouço, por exemplo, uma personagem negra de um filme de ação com a mesma voz caucasiana estridente da mocinha loira de uma comédia romântica.

Isso sem falar da hecatombe de estranheza que rola quando convidam uma celebridade pra emprestar sua voz a algum personagem. Quem assistiu aquele desenho em que o príncipe encantado tinha a voz do Luciano Huck sabe do que eu estou falando.

Uma das raras exceções a esta regra era o Shrek do Bussunda, mas é possível que Deus também não curta esse lance de dublagem, e por isso levou em bora nosso bom exemplo pra acabar com a festa logo.

bussunda-5

Tal estratagema divino, contudo, não parece ter dado muito certo, vide o que aprontaram a Pitty e o Roger no universo dos games.

Mas por outro lado, o Todo-Poderoso não está tão imune a críticas desse tipo. Se o ser humano, ridículo e limitado, dá umas escorregadas nas dublagens de obras do entretenimento, o que dizer das péssimas escolhas de vozes feitas por Ele Mesmo, o Criador?

O caso do lutador Anderson Silva, que ilustra este post, é só um dos mais famosos. Conheça abaixo algumas “dublagens” inusitadas da natureza.

dubladores_f_049

Começamos nossa investigação com duas senhoritas que certamente teriam dificuldades em trabalhar num serviço de telessexo tradicional, mas poderiam ser as profissionais mais bem pagas do ramo em serviços segmentados. Primeiro a impressionante mulher com voz de criança:

 

E agora a espantosa mulher com voz de homem e seu convite pra tomar uma:

 

Mas será que a culpa é do Cara Lá de Cima mesmo? A evolução do timbre de voz da ex-panicat Nicole Bahls, proporcional à sua evolução física, esclarece o fenômeno:

 

Hormônios provavelmente também são a explicação para o belo “dueto” apresentado por uma transexual tailandesa:

 

A coisa começa a ficar complicada e com menos explicações científicas quando aparece um cara igual a este, “dual audio”:

 

E vai piorando na medida que surgem fenômenos como esse cara cantando com voz de Whitney Houston:

 

Como pode um homem com voz de garotinha?

 

A única certeza é que esta foi a inspiração original:

 

E não. Não adianta procurar a tecla SAP…

 

Inspirado no Não Salvo.