Lá pelos anos 60, assim como já ocorria em outras datas, comerciantes americanos viram no feriadão enforcado de Ação de Graças uma boa oportunidade para fisgar os consumidores em seu momento de folga, e começaram a reservar a última sexta-feira de novembro de cada ano pra oferecer descontos substanciais em seus produtos – aproveitando de quebra pra esvaziar os estoques antes dos pedidos de natal. A data já era conhecida como "Black Friday" devido aos congestionamentos, filas e tumultos ocasionados pelo movimento de compras de fim de ano que iniciava no pós-feriado e acabou ficando marcada pelas grandes promoções e descontos oferecidos pelas lojas, tomando proporções ainda maiores com o advento do comércio eletrônico.

A ideia acabou dando muito certo lá fora, onde os consumidores são plenamente conscientes (e às vezes até abusivos) sobre seus direitos, mas a versão brasileira – que até onde se sabe teve início em 2010 – demorou a emplacar, principalmente por causa de algumas promoções falsas como a famosa "metade do dobro" (lojas que aumentam o preço na véspera do dia de conceder descontos).

O que fazer então pra fugir dessas pegadinhas e descontos falsos?

Antes de qualquer coisa, ligar o "desconfiômetro" é requisito básico para não bancar o trouxa num dia em que somos bombardeados por promoções "imperdíveis". Verifique a idoneidade da loja: se apresenta identificação (CNPJ, razão social, endereço) e canais de contato (que não sejam apenas email ou um número de celular), se possui reclamações em sites e órgãos de defesa do consumidor (uma pesquisa rápida na internet costuma revelar) e dê preferência às recomendações de familiares e amigos.

Fique atento às características do produto e condições oferecidas para não levar gato por lebre. Leia as informações em letras miúdas, política de privacidade, valor do frete, prazo de entrega, procedimento para trocas e devoluções e não se esqueça de dar um print screen para salvar as telas caso precise comprovar algum dado.

E quem realmente pretende aproveitar as ofertas da Black Friday este ano para comprar alguma coisa vai poder contar com uma ferramenta inédita:

O Buscapé decidiu fiscalizar de verdade as promoções com um novo serviço de curadoria de ofertas que visa impossibilitar falsos descontos. Durante toda a Black Friday, ao fazer sua busca por algum produto no comparador de preços você só vai receber ofertas reais com descontos de 40% a 70% – e pra garantir que não tem truque, as lojas que não mantiveram regularidade nos preços nos últimos 3 meses são excluídas dos resultados.

Desta forma, ao procurar por bons negócios nesta sexta, o site irá filtrar as lojas espertinhas que eventualmente subiram seus preços recentemente para que você fique apenas com preços realmente reduzidos por descontos de verdade, blindado contra pegadinhas e maracutaias.

CLIQUE AQUI para encontrar os melhores descontos reais em produtos do seu interesse!
 

E outra dica quente pra quem quer tirar uma grana extra indicando promoções para amigos e familiares é usar o sistema de monetização da Lomadee e ganhar uma comissão sobre as vendas realizadas divulgando anúncios da plataforma.

CLIQUE AQUI para saber como funciona e como participar!


 

3 comentários