Lembra dessa galeria de pinturas impressionantes feitas por pessoas com distúrbios psiquiátricos? Trazemos mais uma prova definitiva de que a arte é a expressão da alma. Os desenhos abaixo fazem parte da comovente exibição "os monstros da minha casa" ocorrida na Espanha em 2010, em que crianças que sofreram abusos sexuais acompanhadas por especialistas retratam o trauma da experiência:

Andreu, 8 anos
Abusado pelo padrasto desde os 4 anos, no desenho ele representa ele mesmo em pânico, e dá atenção especial ao zíper da sua calça e os botões de sua camisa, que pra ele representam um símbolo de quando os atos sexuais iriam começar.

Fernando, 13 anos
Ele foi abusado pelo seu pai desde cedo e agora mora com a mãe, que conseguiu fazer ele se recuperar bem. Desenhou o pai como um demônio em um bar, bebendo cerveja e jogando em caça-níqueis. Os riscos saindo do demônio representam o cheiro de álcool. Fernando sente raiva quando mencionam o pai perto dele.
 

Elena, 6 anos
Elena sofreu abusos sexuais do seu pai e agora vive com a vó. No desenho, ela coloca sua avó e sua mãe bem grandes, pois se sente protegida perto das duas. Ela também representa o seu pai transando com ela, bem pequeno, em cima das letras.
 

Miriam, 9 anos
Sofreu abuso psicológico. Sua mãe chegou na Espanha com 15 anos de idade, grávida dela. Pertencia a uma minoria racial por lá, e sofreu abusos dos colegas de classe por conta de sua etnia. Ela é a menor pessoa do desenho, que está envolvida com alguma coisa, representando sua solidão. No canto ela tinha escrito "me sinto sozinha" mas apagou porque tem vergonha disso.
 

David, 8 anos
No desenho, ele destaca os olhos e o pênis do agressor e escreve também "marica" e "chupa-rolas", palavras que eram ditas pelo agressor enquanto o estuprava.
 

Isabel, 8 anos
A
busada sexualmente pelo pai, no desenho ela retrata o momento do abuso. O pai colocou ela em uma cadeira pra penetrá-la por trás. Na parte superior da imagem, ela retrata o irmão mais novo dela, que ficou vendo tudo acontecer pela porta.
 

Joan, 8 anos
No desenho ele coloca o cara que o estuprou em uma gaiola, fechada com um cadeado, e a chave (no canto superior direito) protegida por espinhos, pra ninguém conseguir pegar.

Marina, 5 anos
Era abusada pelo pai, que também a obrigava a assistir filmes pornô. No desenho, retrata um dos filmes que ela assistiu. Ela disse ao especialista que nesses filmes as pessoas "ficavam peladas e faziam coisa feia".

Ester, 9 anos
Desenhou a posição que tinha que ficar quando o seu pai abusava dela. 
 

Toni, 6 anos
O especialista pediu pra ele desenhar o cara que abusou dele. Ele disse "é um monstro" e destacou o pênis ejaculando.
 

Andrea, 10 anos
Representou como eram os abusos, em que ela tinha que tocar o pênis do cara, e ele tocava a vagina dela. Ficou com vergonha de responder as questões do psiquiatra, e aceitou escrever as respostas no desenho, por isso os "sims" e o "não".
 

Victor, 7 anos
Ele era obrigado, aos 4 anos de idade, a fazer sexo oral no seu pai. A linha que sai da boca dele e vai até o pênis do pai representa a sua língua.

– – –

Surrupiado do Ovelhas Voadoras.


 

55 comentários