Nessa jornada louca da vida, feliz de quem tem a oportunidade de conviver com alguém que lhe faça brilhar os olhinhos. Por mais que eu não concorde muito com a ideia de se viver como metade de uma laranja, tenho que admitir que é uma dádiva dadivosa encontrar o cúmplice certo para esta epopeica aventura. Alguém com quem compartilhar a cama, a renda e as flatulências. Alguém que tope as doideiras malucas mais impensáveis – que me parecem ser fundamentais – e faça você se sentir menos só no universo.

Nancy e Donald Featherstone, por exemplo, vivem assim, combinando. Há 35 anos:

Dedicado à minha Bonnie, minha June, minha loirínia Sanseverini.

– – –

O amor é uma Idea Fixa.


 

7 comentários