No último sábado, 30 de novembro, o Shopping Vitória, mais tradicional shopping center da capital capixaba, foi invadido por um grupo de jovens que cumpriam vários requisitos do estereótipo marginal: pele escura, roupas e acessórios característicos da periferia. A multidão de supostos meliantes adentrou correndo o estabelecimento pela porta externa da loja de roupas C&A, promovendo pânico entre consumidores e lojistas, temerosos por saques e arrastões.

A correria não demorou muito, pois logo a Polícia Militar conteve aquelas pessoas com veemência, colocando todos os "marginais" sentados ao chão, sem camisa, e depois em fila indiana, para delírio dos clientes do shopping, que aplaudiam aliviados a atuação da PM. Os vídeos abaixo registraram a cena:


 


 

Seria apenas o exemplo de uma atuação eficiente (apesar de rígida) da polícia capixaba, não fosse por um detalhe: os jovens detidos não entraram no shopping para promover qualquer arrastão ou vandalismo, eles entraram correndo, desesperados, para se abrigarem no shopping porque a o pau estava comendo do lado de fora.

Num local próximo estava rolando um evento clandestino com carros de som tocando funk e a polícia foi chamada para dispersar a multidão. Quando chegaram na área nobre da cidade, tomada por aquela "massa funkeira", trataram de agir com a truculência característica e até um disparo foi ouvido após a chegada dos PMs.

Com a porradaria e até pipoco correndo solta, quem estava por lá não teve outra opção a não ser correr para um local seguro, como o shopping. Só não imaginavam que seriam confundidos com marginais e teriam que passar por tanta humilhação na mão dos policiais.

Ninguém mandou vir ao mundo da cor do pecado.

– – –

Leia mais sobre o ocorrido neste artigo da Carta Capital.


 

97 comentários