da_uma_sopradinha_aqui Após duas semanas em uma incrível marcha etílica sem precedentes nesse alcoolizado blog (a qual me rendeu uma indomesticável ressaca), o TRETA dá um leve tapa na nuca do sistema legislador e sabendo que a melhor atitude para habituar-se em perfeita sintonia com o sistema é adaptar-se a ele te ensina uma boa maneira de ponderar se você já pode conduzir seu veículo após uma cachaçada. Nesse momento de pura sinestesia (já que “ouço meu olho piscar” devido à tamanha dor de cabeça) vamos interromper abruptamente essa inútil introdução que de nada serviu e ir diretamente para o que interessa.

Como fazer um BAFÔMETRO CASEIRO

Material:
1 Um balão de Aniversário
1 pequeno Tubo de polietileno transparente de 4mm de diâmetro
Chumaços de algodão
Dicromato de potássio (Cr207) Encontrado em casas de produtos químicos e agropecuária.

Modo de preparo:
Bafômetro é o aparelho que mede o teor de álcool no sangue através do sopro. Um bafômetro “caseiro”, bolado pela Universidade de São Paulo, pode ser improvisado por um pequeno tubo de polietileno transparente de 4 mm de diâmetro, no qual se introduz algodão impregnado de dicromato de potássio (Cr2O7) que, em seu estado natural, tem a cor alaranjada.

 

 

A pessoa que tenha ingerido bebida alcoólica a ser testada, deve soprar numa bexiga e, após, conectar o tubo à mesma para esvaziá-la. Se houver mudança de cor, para verde, a pessoa está alcoolizada.

Agora se você é daqueles que gosta de esnobar os amiguinhos com gadgets de última geração, pode comprar um bafômetro pessoal no Mercado Negro.

Só pra lembrar, é interessante que o “motorista da rodada” não tenha ingerido nada alcoólico nas últimas 20 horas. Só assim voê estrá 100% seguro das multas.

(*) Esse post é uma Dica de dica!


 

1 comentário