O mercado de trabalho do mundo contemporâneo, sempre com seu ritmo frenético, fez com que as pessoas buscassem cada vez mais se alimentar fora de casa, e como se já não fosse uma revolução alimentar, ainda conduziu o sistema de restaurantes ao surgimento de um novo segmento: o fast-food.

A premissa desse novo modelo, como consta do nome, é trazer sua refeição o mais rápido possível, enquanto você espera, de pé mesmo, para pegar seu lanche, dar umas mordidas afobadas e correr de volta para o trabalho. E acaba que no fim das contas o que deveria ser símbolo de praticidade e comodidade acabou virando um dos ícones deste estilo de vida artificial e estressante dos tempos atuais.

Como apregoam as leis da física (e é comprovado pelos comentários do Facebook), contudo, todo movimento gera uma reação de mesma intensidade em sentido contrário. Para quebrar o clima impessoal e a dinâmica corriqueira dos atendimentos neste tipo de lanchonete, alguns artistas anônimos decidiram inovar no pedido, fazendo uma verdadeira serenata esfomeada. E felizmente sempre tem alguém pra registrar tudo e colocar na internet!

O vídeo do gênero mais antigo que conheço é este rap do Big Mac, no drive thru do McDonald’s:

 

O tempo foi passando e a mania se espalhou, dando origem a rappers cada vez mais ousados e contundentes. Tão contundentes que muitas vezes o estilo “gangsta thug life” poderia ser confundido com um assalto…

 

Mas a magia só é completa quando do outro lado do “show” está um atendente esperto capaz de anotar todo o pedido sem se perder:

 

E dependendo do seu desempenho, e da visão de jogo do gerente, quem sabe você pode até sair sem pagar:

 

Só é meio arriscado botar tudo a perder quando a funcionária da lanchonete decide participar cantando:

 

Eventualmente, mesmo sem qualquer pretensão artística por parte do consumidor naquele momento, a performance pode vir do funcionário na cabine de atendimento:

 

Com o tempo, a mania de surpreender na hora de pedir um rango atravessou o planeta em várias línguas:

 

E chegou até mesmo aqui no Brasil:

 

E quando a galera decidiu que não era justo pegar só no pé do McDonald’s começaram a surgir engraçadinhos nos guichês da concorrência, começando pelo Burger King:

 

Pra quem curte um franguinho frito com hip hop, tem “serenata” também no KFC:

 

E se você prefere um programa mais hipster, também temos o rap da Starbucks:

 

Outras redes, outros ritmos…

 

E se você não curte sair de casa nem pra comer, nem pra virar artista, o delivery é a solução! Mas não esqueça de providenciar uma recepção calorosa para o entregador:

Essa conversa toda deu fome, heim… Acho melhor correr pra um fast-food e preparar logo uma música bacana pra não errar no pedido!

CLIQUE AQUI para ver outras formas de gastar na hora da larica!


 

2 comentários