Felipinho
  •  
  •  
  •  
  •  

Todos os dias eu sou vítima de uma das mazelas mais trivializadas dos grandes centros urbanos: o trânsito. Especialmente na região metropolitana de Vitória (ES), onde resido, fenômenos do antiautomobilismo demonstram que qualquer quadrúpede está apto a tirar a carteira de motorista no Detran. Não sei como funciona na sua cidade, mas por aqui os cariocas dirigem como baianos, os baianos como mineiros, os mineiros como paulistas e os capixabas como acreanos. Imagine o estacionamento da Torre de Babel.

Pros malditos espertalhões e retardados mentais que fazem do meu e do seu caminho de volta pra casa um inferno, fica registrada a nossa homenagem:

transito

Eu acho isso uma puta falta de sacanagem.

– – –

Capinaremos sempre na alta.

Dedicado a Carlos “Carbura” Miranda.


  •  
  •  
  •  
  •