Nada me tira da cabeça que toda essa crise internacional que monopoliza as editorias do planeta é uma conspiração muito bem engendrada por republicanos para tentar virar a preferência do eleitorado norte-americano em favor do candidato John McCain – interrompendo assim os planos do retorno de Gesus.

Pensem bem, depois de convencerem o mundo de que o homem foi à lua, de que Osama Bin Laden atentou contra Nova Iorque e de que Britney Spears é uma cantora, os empresários e políticos da cúpula yankee podem muito bem estar simulando todo o pânico paranóico desta crise para impedir o povo de votar num candidato negro, preferindo o outro, tiozinho, mais confiável para estes tempos instáveis.

Vai dizer que isto é tão absurdo assim?

Eu li em algum lugar que a revista IstoÉ tinha conexões no PMDB e que o Grupo Civita, da revista Veja, mordia a fronha do PFL (antiga UDN, atual “Democratas” – sabe como é, bandido tem que mudar de apelido o tempo todo) e nesta mesma reportagem que li haviam dezenas de recortes com destaques descaradamente tendenciosos, abordagens pilantras e escolha de matérias que comprovariam tais conexões das duas edições. Não sei bem como funciona este lance de guerra partidária no jornalismo, mas não duvido de mais nada.

Quem chegou a cursar História e Geografia no segundo grau sabe que este mundo é feito de estratagemas oportunistas. Nos bastidores do poder, conexões pentecostais são costuradas com muito jabaculê e muita lobbotomia. E a maioria delas a gente nem imagina.

Em tempo: você sabia que a Unilever pretende comprar todos os CNPJs cadastrados e ativos na Receita Federal Brasileira? Pois é meu amigo, te prepara.

Deixe sua teoria conspiratória nos comentários abaixo fasfavor.


(*)
Entenda a crise econômica americana e mundial

(**) Este novo estilo esquisito de escrever e colocar palavras em negrito é um oferecimento descaradamente oportunista de OBLOGO.ORG