Já rebateram de todas as formas aquele mito de que usamos apenas 10% de nosso cérebro, mas é possível que o ser humano não conheça nem perto deste percentual o funcionamento da mente.

Prova da engenhosidade quase mística do nosso cérebro são as famosas “ilusões de ótica”, simulações e pegadinhas capazes de confundir nossa percepção da realidade. Uma dessas brincadeiras mais tradicionais que se têm notícia é a técnica fotográfica e cinematográfica chamada de “tilt-shift” ou “tilt-and-shift”, que consiste no uso de lentes ou efeitos digitais com os quais é possível controlar o plano de focagem e os limites de profundidade das cenas captadas, obtendo-se uma imagem que aparenta reproduzir o objeto em escala muito menor. Trocando em miúdos: vídeos de time lapse (passagem de tempo) de paisagens urbanas com parte da tela embaçada para evidenciar o foco e simular nossa visão de objetos pequenos.

O resultado da técnica, quando bem aplicada, é que mesmo as maiores e mais movimentadas metrópoles do mundo ficam parecendo pequeninas maquetes numa feira de ciências.

fun_cool_offbeat_weird_1629911472_32d06a0203_o_20090729125245304

Diversos artistas de todo o mundo aderiram à técnica, e seus vídeos, repletos de belíssimas imagens registradas nas principais centros urbanos do planeta com o efeito, estão espalhados pela internet.

Confira com seus próprios – e iludidos – olhos, que vai começar a nossa volta ao mundo em miniatura:

Rio de Janeiro

 

São Paulo

 

Nova York

 

Paris

 

Tóquio

 

Chicago

 

Xangai

 

Madrid

 

São Francisco

 

Singapura

 

Barcelona

E aí, qual delas você achou mais bonita?


 

1 comentário